Enfermagem

Duração:
5 anos | 4.000 horas

Titulação:
Bacharel

Turno:
Noturno
Sobre o curso

A Enfermagem é a ciência e a arte de cuidar cuja essência e especificidade é o cuidado ao ser humano, individualmente, na família ou em comunidade de modo integral e holístico, desenvolvendo de forma autônoma ou em equipe atividades de promoção, proteção, prevenção, reabilitação e recuperação da saúde. Atua em diversas instituições de saúde como membro de equipe multiprofissional, seja em hospitais, clínicas e na saúde coletiva.

MERCADO DE TRABALHO

A área hospitalar é a que mais emprega o enfermeiro, que é requisitado em todos os setores da assistência. Entretanto, os setores que apresentam as maiores demandas para o enfermeiro atualmente são a geriatria, a pediatria, a oncologia e a unidade de terapia intensiva. Na saúde coletiva, a expansão da Estratégia de Saúde da Família também favorece o mercado, pois cada equipe de Saúde da Família tem de contar com, no mínimo, um enfermeiro. A auditoria é outro setor que cresce e necessita de enfermeiros que saibam lidar com a relação custo-benefício de medicamentos e equipamentos hospitalares. A enfermagem do trabalho é outra área que tem apresentado grande demanda de profissionais. O mercado tem exigido cada vez mais o aprimoramento profissional do enfermeiro por meio de cursos de pós-graduação, mestrado e doutorado.

quanto ganha
um Enfermeiro(a)?
Salário Médio
R$ 2.804,16
Trainee/Júnior
R$ 1.919,83 a R$ 3.179,23
Pleno
R$ 2.538,97 a R$ 3.656,11
Sênior/Master
R$ 2.919,82 a R$ 4.835,21
FORMAS DE ACESSO AO CURSO

O acesso ao curso de Enfermagem do UNICERP pode ser feito por uma das opções abaixo:

• Exame vestibular realizado anualmente;

• Pela nota do ENEM;

• Matrícula com isenção de processo seletivo (vestibular) para portadores de diploma de graduação (para vagas remanescentes);

• Matrículas decorrentes de transferências externas para alunos cursando Enfermagem em outras IES (para vagas remanescentes);

• Matrícula decorrente de mudança de curso, para alunos já matriculados em outros cursos do UNICERP (para vagas remanescentes).

  • Número de vagas anuais:
    50
  • Dimensionamento das turmas:
    50
  • Mensalidades (2020):

    R$ 1.245,00

  • Regime da matrícula
    Semestral
COORDENAÇÃO
  • PROFA. ME. DANIELA DE SOUZA FERREIRA

    Formação: Mestre em Promoção de Saúde na Universidade de Franca (UNIFRAN). Especialista em Gestão em Saúde Pública e da Família (2011) pelo Centro Universitário do Cerrado (UNICERP) e em Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva (2010) pela Faculdade Luíza de Marillac. Graduação em ENFERMAGEM pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro (2007). Docente nos cursos de graduação de Enfermagem, Fisioterapia e Educação Física no UNICERP. Atualmente, supervisora das disciplinas de vivências clínicas, bem como docente das disciplinas de enfermagem e saúde coletiva, primeiros socorros e noções de enfermagem, enfermagem em central de material e esterilização, análise e interpretação de exames complementares de diagnóstico e terapêutica, assistência de enfermagem ao neonato e a criança, fundamentação da ciência e arte do processo de cuidar I e sistematização da assistência de enfermagem.

  • Ano em que ingressou na instituição
    2008
  • ATO REGULATÓRIO

    Modalidade: Bacharelado em Enfermagem. Renovação de Reconhecimento pelo MEC conforme Portaria nº 932 de 24/08/2017, Data da Publicação 25/08/2017

mais informações

Entende-se por Atividades Complementares aquelas realizadas pelo aluno do curso de Enfermagem e relacionadas com os conteúdos ministrados durante o desenvolvimento do curso.

Clique e acesse o regimento de Atividades Complementares

Fale com a coordenadora do curso, Profa. Me. Daniela de Souza Ferreira

Telefone geral: (34) 3839.3737 – Ramal: 206

Secretaria da coordenação: (34) 3839.3710

Coordenação: (34) 3839.3728

E-mail: enfermagem@unicerp.edu.br

Objetivos

Objetivos gerais

O Curso de Enfermagem do UNIVERP objetiva proporcionar formação técnico-científica, social, política e cultural ao profissional enfermeiro para que este possa interagir e intervir nas situações vivenciadas, relacionadas a problemas-situações do processo saúde-doença de indivíduos, famílias e comunidades.

Além disso, contribuir para a formação de profissionais generalistas, críticos, reflexivos, investigativos e responsáveis diante do contexto saúde-doença, com uma visão social, ética e política, desenvolvendo e aplicando os conhecimentos adquiridos e produzidos para o aprimoramento da qualidade de vida da sociedade em que vivem e das organizações em que atuam.

 

Objetivos específicos

• Assegurar a articulação entre o ensino, pesquisa e extensão/assistência, garantindo um ensino crítico, reflexivo e criativo, que leve a construção do perfil almejado, estimulando a realização de experimentos e/ou de projetos de pesquisa; socializando o conhecimento produzido, levando em conta a evolução epistemológica dos modelos explicativos do processo saúde-doença;

• Desenvolver as atividades curriculares, na busca da interdisciplinaridade, tendo como base de construção do perfil almejado e a integração entre ensino, pesquisa, extensão/assistência;

• Ministrar os conteúdos essenciais previstos na estrutura curricular por meio das atividades teóricas, práticas, complementares, elaboração de trabalho de conclusão de curso e estágio curricular supervisionado, de forma integrada e criativa, considerando a realidade sóciopolíticocultural nacional e local;

• Desenvolver as competências e habilidades gerais e específicas necessárias ao exercício profissional do enfermeiro articuladas aos contextos sóciopolíticocultural nacional e local;

• Implementar metodologias no processo ensinar-aprender que estimulem o aluno a refletir sobre a realidade social e aprenda a aprender;

• Utilizar estratégias pedagógicas que articulem o saber; o saber fazer e o saber conviver, visando desenvolver o aprender a aprender, o aprender a ser, o aprender a fazer, o aprender a viver juntos e o aprender a conhecer que constitui atributos indispensáveis à formação do enfermeiro;

• Promover a articulação das atividades teóricas e práticas desde o início do processo de formação do enfermeiro, permeando-a de forma integrada e interdisciplinar;

• Favorecer o desenvolvimento de atividades de Enfermagem, de modo integral, nos diferentes níveis de atenção à saúde do indivíduo, família e dos grupos sociais, assegurando o cuidar com qualidade;

• Estimular dinâmicas de trabalho em grupos, por favorecerem a discussão coletiva e as relações interpessoais;

• Fomentar a valorização das dimensões éticas e humanísticas da profissão, desenvolvendo no aluno atitudes e valores orientados para a cidadania e para a solidariedade;

• Fortalecer o reconhecimento do futuro profissional como agente transformador do processo de trabalho, procurando contribuir no aperfeiçoamento das dinâmicas institucionais, observando os princípios éticos e humanísticos;

• Promover a inserção da comunidade acadêmica nas ações de saúde promovidas pelo Sistema de Saúde.

 

Perfil Profissional do Egresso

O egresso do Curso de Graduação em Enfermagem do UNICERP pode ser apresentado com um Enfermeiro, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Profissional qualificado para o exercício de Enfermagem, com base no rigor científico e intelectual e pautado em princípios éticos, exercendo a Enfermagem nas áreas assistencial, administrativa, socioeducativa, ensino e pesquisa, sendo capaz de conhecer e intervir sobre os problemas/situações de saúde-doença mais prevalentes no perfil epidemiológico nacional, com ênfase na sua região de atuação, identificando as dimensões biopsicossociais dos seus determinantes. Capacitado a atuar, com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, como promotor da saúde integral do ser humano.

O enfermeiro graduado pelo Curso de Bacharelado de Enfermagem do UNICERP atuará no mercado de trabalho como generalista / empreendedor, crítico / reflexivo, humanista e ético / político com competência técnico-científica, criativo, intuitivo pautado em princípios éticos, exercendo a Enfermagem nas áreas assistencial, administrativa, sócio-educativa, ensino e pesquisa, conhecendo e intervindo sobre os problemas / situações de saúde-doença mais prevalentes no perfil epidemiológico nacional, com ênfase na sua região de atuação, identificando as dimensões biopsicossociais de seus determinantes. Capacitado a atuar, com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, como promotor de saúde integral do ser humano.

Desta forma, o curso oferece subsídios para tornar o profissional apto a:

• Atuar profissionalmente compreendendo a natureza humana em suas dimensões, expressões e fases evolutivas;

• Incorporar a ciência/arte do cuidar como instrumento de interpretação profissional;

• Reconhecer a estrutura e as formas de organização social, suas transformações e expressões;

• Reconhecer as relações de trabalho e sua influência na saúde;

• Sentir-se membro do seu grupo profissional;

• Reconhecer-se como sujeito no processo de formação de recursos humanos;

• Comprometer-se com os investimentos voltados para a solução de problemas sociais;

• Reconhecer o perfil epidemiológico das populações e responder às especialidades regionais de saúde, através de intervenções planejadas estrategicamente, em níveis de promoção, prevenção, proteção e reabilitação à saúde;

• Responsabilizar-se pela qualidade da assistência de enfermagem prestada ao ser humano nos vários níveis de saúde (primário, secundário e terciário) em conjunto com a equipe de Enfermagem;

• Planejar e implementar pesquisas e outras produções do conhecimento que promovam a qualificação do fazer do enfermeiro;

• Participar das associações e conselhos profissionais e cooperativas de saúde e/ou Enfermagem;

• Promover avaliação e auditoria das ações de Enfermagem;

• Desenvolver inteligência interpessoal (saber trabalhar em grupo).

O Curso de Enfermagem do centro Universitário do Cerrado - Patrocínio visa formar o profissional enfermeiro, com competência técnica, científica, ética, política, social e cultural para atuar na promoção, prevenção, cura e recuperação da saúde.

O enfermeiro desempenhará sua função de articulador do processo de trabalho em saúde na multidimensionalidade de sua prática, intervindo ativamente no planejamento, execução e avaliação de ações em saúde.

O enfermeiro atuará como membro formador de recursos humanos na área de enfermagem, priorizando práticas de ensino que valorizem o “saber popular” e introduzam o “saber científico”.

O enfermeiro incentivará e desenvolverá trabalhos científicos que colaborem na evolução de profissão e do profissional.

O enfermeiro será um agente de aprimoramento do “fazer” em enfermagem comprometendo-se não somente com a reprodução prática do saber apreendido mas, ao contrário, comprometendo-se com a tomada de uma postura reflexiva e crítica no exercício da enfermagem.

A enfermagem deverá incorporar vários campos do conhecimento humano norteada pela compreensão da natureza humana, pelo humanismo e pela solidariedade.

 

Competência e Habilidades

De acordo com as Diretrizes Curriculares da Área de Enfermagem, editadas mediante a Resolução CES/CNE nº. 03/2001, de 07 de novembro de 2001, com fundamento no Parecer CES/CNE nº. 1133/2001, de 07 de agosto de 2001, buscar-se-á desenvolver os profissionais para o desenvolvimento de atitude científica, o compromisso com a realidade sócio-econômica-político-cultural do País e da Região na qual está inserido, a ética profissional, a liderança, e o trabalho participativo em equipe.

A formação do enfermeiro, segundo as Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação em Enfermagem, tem por objetivos dotar o profissional dos conhecimentos requeridos para o exercício das seguintes competências e habilidades gerais:

• Atenção à saúde;

• Tomada de decisões;

• Comunicação;

• Liderança;

• Administração e gerenciamento;

• Educação permanente

A formação do enfermeiro tem por objetivo dotar o profissional dos conhecimentos requeridos para o exercício das seguintes competências e habilidades específicas:

• Atuar profissionalmente, compreendendo a natureza humana em suas dimensões, em suas expressões e fases evolutivas;

• Incorporar a ciência/arte do cuidar como instrumento de interpretação profissional;

• Estabelecer novas relações com o contexto social, reconhecendo a estrutura e as formas de organização social, suas transformações e expressões;

• Desenvolver formação técnico-científica que confira qualidade ao exercício profissional;

• Compreender a política de saúde no contexto das políticas sociais, reconhecendo os perfis epidemiológicos das populações;

• Reconhecer a saúde como direito e condições dignas de vida e atuar de forma a garantir a integralidade da assistência, entendida como conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema;

• Atuar nos programas de assistência integral à saúde da criança, do adolescente, da mulher, do adulto e do idoso;

• Ser capaz de diagnosticar e solucionar problemas de saúde, de comunicar-se, de tomar decisões, de intervir no processo de trabalho, de trabalhar em equipe e de enfrentar situações em constante mudança;

• Reconhecer as relações de trabalho e sua influência na saúde;

• Atuar como sujeito no processo de formação de recursos humanos;

• Responder às especificidades regionais de saúde através de intervenções planejadas estrategicamente, em níveis de promoção, prevenção e reabilitação à saúde, dando atenção integral à saúde dos indivíduos, das famílias e das comunidades;

• Reconhecer-se como coordenador do trabalho da equipe de enfermagem;

• Assumir o compromisso ético, humanístico e social com o trabalho multiprofissional em saúde.

• Promover estilos de vida saudáveis, conciliando as necessidades tanto dos seus clientes/pacientes quanto às de sua comunidade, atuando como agente de transformação social;

• Usar adequadamente novas tecnologias, tanto de informação e comunicação, quanto de ponta para o cuidar de enfermagem;

• Atuar em diferentes cenários da prática profissional, considerando os pressupostos dos modelos clínico e epidemiológico;

• Identificar as necessidades individuais e coletivas de saúde da população, seus condicionantes e determinantes;

• Intervir no processo de saúde-doença, responsabilizando-se pela qualidade da assistência/cuidado de enfermagem em seus diferentes níveis de atenção à saúde, com ações de promoção, prevenção, proteção e reabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência;

• Coordenar o processo de cuidar em enfermagem, considerando contextos e demandas de saúde;

• Prestar cuidados de enfermagem compatíveis com as diferentes necessidades apresentadas pelo indivíduo, pela família e pelos diferentes grupos da comunidade;

• Compatibilizar as características profissionais dos agentes da equipe de enfermagem às diferentes demandas dos usuários;

• Integrar as ações de enfermagem às ações multiprofissionais;

• Gerenciar o processo de trabalho em enfermagem com princípios de ética e de bioética, com resolutividade tanto em nível individual como coletivo em todos os âmbitos de atuação profissional;

• Planejar, implementar e participar dos programas de formação e qualificação contínua dos trabalhadores de enfermagem e de saúde;

• Planejar e implementar programas de educação e promoção à saúde, considerando a especificidade dos diferentes grupos sociais e dos distintos processos de vida, saúde, trabalho e adoecimento;

• Desenvolver, participar e aplicar pesquisas e/ou outras formas de produção de conhecimento que objetivem a qualificação da prática profissional;

• Respeitar os princípios éticos, legais e humanísticos da profissão;

• Interferir na dinâmica de trabalho institucional, reconhecendo-se como agente desse processo;

• Utilizar os instrumentos que garantam a qualidade do cuidado de enfermagem e da assistência à saúde;

• Participar da composição das estruturas consultivas e deliberativas do sistema de saúde;

• Assessorar órgãos, empresas e instituições em projetos de saúde;

• Cuidar da própria saúde física e mental e buscar seu bem-estar como cidadão e como enfermeiro;

• Reconhecer o papel social do enfermeiro para atuar em atividades de política e planejamento em saúde.

 

Metodologia

A metodologia indica as grandes linhas de ação utilizadas pelos professores em suas aulas, pois é o meio de que lança mão para trabalhar os conteúdos curriculares e alcançar os objetivos pretendidos. As linhas de trabalho estão centradas na valorização do processo ensino-aprendizagem que provoque uma postura dinâmica e crítica dos alunos, assim como na utilização de ferramentas de ensino que contribuam para a implementação de um processo ensino-aprendizagem emancipatório, que permita a abertura de espaços para a reflexão e a construção do conhecimento. Assim sendo, a metodologia utilizada encontra-se comprometida com o desenvolvimento do espírito científico, com a formação de sujeitos autônomos e cidadãos. Valoriza o processo ensinar-aprender que estimula o aluno a refletir sobre a realidade social e aprenda a aprender.

A metodologia decorrente da relação teoria e prática se fundamenta no eixo articulador da produção do conhecimento na dinâmica do currículo e por meio de vivências nas diversas disciplinas que envolvem a observação, a avaliação o acompanhamento e a intervenção na promoção, prevenção e reabilitação da saúde. O processo de formação do enfermeiro busca associar teoria e prática no sentido de fazer com que o discente vivencie, aprenda e desenvolva as atividades relacionadas à assistência à saúde, nas diversas fases do ciclo vital humano. Portanto, as temáticas formadoras do enfermeiro buscam integrar o discente nos principais segmentos da profissão: sistematização da assistência em enfermagem, administração e gestão de serviços, educação em saúde, atenção à saúde em saúde pública e em instituições hospitalares de média e alta complexidade.

Assim sendo, no desenvolvimento do Curso de Enfermagem do UNICERP são utilizadas metodologias interativas, centradas no aluno e voltadas para o seu desenvolvimento intelectual. As estratégias pedagógicas articulam o saber; o saber fazer e o saber conviver, visando desenvolver o aprender a aprender, o aprender a ser, o aprender a fazer, o aprender a viver juntos e o aprender a conhecer que constitui atributos indispensáveis à formação do Enfermeiro. Entre as estratégias de ensino que são utilizadas, destacam-se:

a) aulas teóricas, teórico-práticas, práticas, conferências e palestras;

b) projetos de investigação científica, numa perspectiva interdisciplinar;

c) práticas didáticas na forma de monitorias, demonstrações e exercícios etc.;

d) consultas supervisionadas em biblioteca para identificação crítica de fontes relevantes;

e) aplicação e avaliação de estratégias, técnicas, recursos e instrumentos da área;

f) visitas, documentadas através de relatórios, a pessoas jurídicas de direito público e privado;

g) projetos de extensão e eventos de divulgação do conhecimento;

h) elaboração e avaliação de projetos para organizações;

i) realização de atividades extracurriculares;

j) estudo de casos;

k) práticas integrativas voltadas para o desenvolvimento de competências e habilidades em situações de complexidade variada, representativas do efetivo exercício profissional, sob a forma de práticas de ensino em unidades de saúde e de estágio supervisionado (desenvolvidas, também, de acordo com as necessidades da região de saúde e articuladas com as políticas públicas do SUS).

No caso da técnica de aula expositiva nas suas formas participativa e dialógica, a atuação do professor não se restringirá à mera transmissão de conhecimentos, sendo-lhes destinada a tarefa mais importante de desenvolver no aluno o hábito de trazer para debate questões que ultrapassem os rígidos limites teóricos, levando-os, assim, a repensar o conhecimento.

Também como opção metodológica para os diversos componentes curriculares que compõem a matriz curricular dos cursos do UNICERP, pode-se citar a utilização de pesquisas pontuais voltadas para o aprofundamento e o aperfeiçoamento do conhecimento, assim como para o desenvolvimento de competências e habilidades.

Será dedicada atenção especial a garantia da acessibilidade plena (inclui a metodológica / pedagógica e a atitudinal).  A acessibilidade metodológica ou pedagógica é referente às barreiras nas formas de organização do espaço pedagógico, incluindo metodologias de ensino. É estimulado o uso entre os docentes, de ferramentas informatizadas que permitam o acesso dos alunos aos textos e outros materiais didáticos em mídias eletrônicas. Está garantida a ausência de barreiras nas metodologias e técnicas de estudo. Os professores promovem processos de diversificação curricular, flexibilização do tempo e utilização de recursos para viabilizar a aprendizagem de estudantes com deficiência. Com o progresso de todos os alunos ao longo do curso, há crescente envolvimento com a metodologia de aprendizagem proposta, centrada no aluno, a qual incentiva e facilita o estudo independente tanto de forma individual como em equipe. Isso ajuda a fomentar o desenvolvimento de uma abordagem voltada para a aprendizagem permanente.

A acessibilidade atitudinal refere-se à percepção do outro sem preconceitos, estigmas, estereótipos e discriminações. Todos os demais tipos de acessibilidade estão relacionados a essa, pois é a atitude da pessoa que impulsiona a remoção de barreiras.

 

PARA DOWNLOAD:

 Anexo 1

ALMEIDA, Ana Carolina Alves. ANÁLISE DO ABSENTEISMO EM UMA INDÚSTRIA FRIGORÍFICA. 2017. 46 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

CAIXETA, Jéssica Fernanda. ANÁLISE DA SITUAÇÃO VACINAL CONTRA A HEPATITE B EM PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM. 2017. 48 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

DAMACENA, Lara Cristina Alves. CONFLITOS ASSOCIADOS A AUTOESTIMA E IMAGEM CORPORAL VIVENCIADOS APÓS A DESCOBERTA DA GESTAÇÃO NA ADOLESCÊNCIA. 2017. 54 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

GARDIM, Michela Ortiz. VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO. 2017. 48 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

MARTINS, Adriana de Fátima. PERFIL SOCIODEMOGRÁFICO E EPIDEMIOLÓGICO DE HIPERTENSOS E DIABÉTICOS ACOMPANHADOS PELA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA NO INTERIOR DE MINAS GERAIS. 2017. 41 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

MARTINS, Danielle. CONHECIMENTO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM SOBRE OS CUIDADOS PALIATIVOS EM PACIENTES TERMINAIS DE UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA. 2017. 43 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

NUNES, Maria da Graça Vieira. O AUTOCUIDADO COM A FÍSTULA ARTERIOVENOSA PARA A CONTINUIDADE DO TRATAMENTO HEMODIALÍTICO. 2017. 53 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

ROSA, Pedro Henrique Silva. HUMANIZAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA: uma visão multiprofissional.2017. 62 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

SILVA, Nadiara Suza Reis. ANÁLISE DO ESTRESSE OCUPACIONAL EM DOCENTES DA ÁREA DA SAÚDE DE UMA INSTITUIÇÃO PARTICULAR DO INTERIOR DE MINAS GERAIS. 2017. 42 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

VIEIRA, Núbia Luzia Gonzaga. PERFIL DE PACIENTES COM REINTERNAÇÃO EM UMA UNIDADE HOSPITALAR DE SAÚDE MENTAL, POR USO PREJUDICIAL DE SUBSTÂNCIA PSICOATIVA. 2017. 39 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

*Clique no título do trabalho para acessar em PDF

BRITO, Amanda Lorraine de. DOR TORÁCICA: abordagem do manejo e assistência de enfermagem2018. 47 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, Patrocínio/MG, 2018.

GOMES, Márcio Afonso. PERCEPÇÃO DO USUÁRIO SOBRE A ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NO ACOMPANHAMENTO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL EM UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE2018. 43 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, Patrocínio/MG, 2018.

JESUS, Bhrenda Thayná Bernardes de. VIVÊNCIA DO ENFERMEIRO ACERCA DO DIAGNÓSTICO DE MORTE ENCEFÁLICA EDO PROCESSO DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS2108. 58 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, Patrocínio/MG, 2018.

PEREIRA, Nagila Sthefany Carvalho. ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO DIANTE A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS2018. 45 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, Patrocínio/MG, 2018.

ROCHA, Robson Machado. DIFICULDADES ENFRENTADAS PELA EQUIPE DE ENFERMAGEM NA SALA DE VACINAÇÃO PARA O ALCANCE DE COBERTURAS VACINAIS2018. 57 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, Patrocínio/MG, 2018.

ROSA, José Henrique do Nascimento Domingos. HUMANIZAÇÃO SOB A ÓTICA DA FAMÍLIA NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA2018. 45 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, Patrocínio/MG, 2018.

SILVEIRA, Gabriela Francine Gaspar. VISÃO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM FRENTE AO PACIENTE EM CUIDADOS PALIATIVOS HOSPITALIZADO EM UNIDADE DE CLÍNICA MÉDICA2018. 42 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, Patrocínio/MG, 2018.

SOUZA, Hudson Carvalho de. PERCEPÇÃO DA EQUIPE MULTIDISCIPLINAR SOBRE AS PRÁXIS DE REDUÇÃO DE DANOS2018. 48 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, Patrocínio/MG, 2018.