Enfermagem

Denominação

Curso de Enfermagem

Turno de funcionamento

Noturno

Número de vagas anuais

50

Duração

5 anos, perfazendo um total de 4.000 horas.

Limite Mínimo: 10 semestres.

Limite Máximo: 16 semestres.

Dimensionamento das turmas

Turmas com no máximo 50 alunos

Regime de matrícula

Semestral

Mensalidades (2019)

2º período - R$ 1.192,00

4º período - R$ 1.192,00

6º período - R$ 1.192,00

8º período - R$ 1.192,00

10º período - R$ 1.192,00

Ato regulatório

Modalidade: Bacharelado em Enfermagem. Renovação de Reconhecimento pelo MEC conforme Portaria nº 932 de 24/08/2017, Data da Publicação 25/08/2017

Coordenação

Prof.ª Me. Angela Maria Drumond Lage

Formação: Mestre em Enfermagem (2008) pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal de MInas Gerais. Graduação em Enfermagem pela Universidade Federal de Minas Gerais (1977), habilitação em Enfermagem Médico-cirúrgica, pela Escola de Enfermagem da UFMG (1977); especialização em Educação Profissional na Área da Saúde: Enfermagem, pela Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro e Escola de Saúde Pública Sérgio Arouca (2004) e aperfeiçoamento em Saúde Pública pela Faculdades Integradas de Patrocínio (2004). Atualmente é coordenadora e docente no curso de Enfermagem do Centro Universitário do Cerrado-Patrocínio. Experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Saúde Coletiva, com atuação em imunização, promoção da saúde, educação em saúde, vigilância epidemiológica e controle de doenças, saúde da mulher, da criança, do adolescente e jovem e políticas públicas de saúde.

Ano em que ingressou na instituição: 2001

Lattes: http://lattes.cnpq.br/9405404109702843

Sobre o curso

A Enfermagem é a ciência e a arte de cuidar cuja essência e especificidade é o cuidado ao ser humano, individualmente, na família ou em comunidade de modo integral e holístico, desenvolvendo de forma autônoma ou em equipe atividades de promoção, proteção, prevenção, reabilitação e recuperação da saúde. Atua em diversas instituições de saúde como membro de equipe multiprofissional, seja em hospitais, clínicas e na saúde coletiva.

Mercado de trabalho

A área hospitalar é a que mais emprega o enfermeiro, que é requisitado em todos os setores da assistência. Entretanto, os setores que apresentam as maiores demandas para o enfermeiro atualmente são a geriatria, a pediatria, a oncologia e a unidade de terapia intensiva. Na saúde coletiva, a expansão da Estratégia de Saúde da Família também favorece o mercado, pois cada equipe de Saúde da Família tem de contar com, no mínimo, um enfermeiro. A auditoria é outro setor que cresce e necessita de enfermeiros que saibam lidar com a relação custo-benefício de medicamentos e equipamentos hospitalares. A enfermagem do trabalho é outra área que tem apresentado grande demanda de profissionais. O mercado tem exigido cada vez mais o aprimoramento profissional do enfermeiro por meio de cursos de pós-graduação, mestrado e doutorado.

QUANTO GANHA UM ENFERMEIRO?*

*Fonte: Educa Mais Brasil

Salário médio

R$ 2.804,16

Trainee/Júnior

R$ 1.919,83 a R$ 3.179,23

Pleno

R$ 2.538,97 a R$ 3.656,11

Sênior/Master

R$ 2.919,82 a R$ 4.835,21

Formas de acesso ao curso

O acesso ao curso de Enfermagem do UNICERP pode ser feito por uma das opções abaixo:

• Exame vestibular realizado anualmente;

• Pela nota do ENEM;

• Matrícula com isenção de processo seletivo (vestibular) para portadores de diploma de graduação (para vagas remanescentes);

• Matrículas decorrentes de transferências externas para alunos cursando Enfermagem em outras IES (para vagas remanescentes);

• Matrícula decorrente de mudança de curso, para alunos já matriculados em outros cursos do UNICERP (para vagas remanescentes).

Estude em 2020

Mais informações

Entende-se por Atividades Complementares aquelas realizadas pelo aluno do curso de Enfermagem e relacionadas com os conteúdos ministrados durante o desenvolvimento do curso.

Clique e acesse o regimento de Atividades Complementares

As formas de avaliação são normatizadas pelo Regimento Interno e Resoluções do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão.

REGIMENTO GERAL DO UNICERP - Aprovado em reunião do Conselho Universitário do Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, em reunião no dia 26 de dezembro de 2006.

 

CAPÍTULO VI

DO REGIME DE PROMOÇÃO

SEÇÃO I

DAS AVALIAÇÕES PARCIAIS

Art. 116 – A verificação do desempenho acadêmico será feita por disciplina, compreendendo a apuração do rendimento escolar e da assiduidade.

Art. 117 – O rendimento escolar será aferido através de avaliações parciais realizadas ao longo do semestre letivo e pelo exame final.

Parágrafo Único – As avaliações para aferimento do rendimento escolar, de acordo com a natureza da disciplina, poderão ser realizadas de múltiplas formas, processos e técnicas adequadas a cada situação, conforme normas a serem baixadas pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão.

Art. 118 – Ao final de cada bimestre letivo será atribuído ao aluno uma nota resultante da somatória de pelo menos, duas formas de avaliação.

§ 1º Nas disciplinas com mais de duas aulas semanais deverão ser aplicadas pelo menos duas provas escritas e uma outra forma de avaliação.

§ 2º Será facultado, nas disciplinas com até 2 (duas) aulas semanais, ouvido o Colegiado de Curso, a aplicação de apenas uma prova escrita e outra forma de avaliação, para obtenção da nota bimestral.

§ 3º Ficarão a critério do Colegiado de Curso, aprovados pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, a forma e o número de avaliações nas disciplinas ministradas nos estágios supervisionados.

Art. 119 – A forma e os critérios estabelecidos para obtenção das médias bimestrais de cada disciplina deverão constar dos planos de ensino aprovados pelo Colegiado de Curso, os quais deverão ser comunicados aos alunos no início do semestre letivo.

Parágrafo Único – Caberá ao professor da disciplina escolher a forma de avaliação e sua aplicação, bem como proceder ao respectivo julgamento.

Art. 120 – O resultado da avaliação bimestral será expresso em escala de (0) zero a (100) cem, sem casa decimal.

Art. 121 – É assegurado ao aluno o direito de requerer, via Protocolo, a revisão de provas escritas e gráficas, desde que devidamente fundamentada e no prazo de 48 (quarenta e oito) horas a contar da divulgação da nota pelo professor em sala de aula.

Parágrafo Único – O processo de revisão de prova e seus possíveis recursos serão regulamentados pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão.

Art. 122 – O aluno que deixar de comparecer à prova escrita, gráfica, oral ou de outra forma de avaliação pré-determinada, bem como ao exame final, deverá requerer segunda chamada junto ao Protocolo, no prazo de 48 (quarenta e oito) horas, justificando a ausência e apresentando documento comprobatório, se solicitado.

Parágrafo Único – Caberá ao Diretor de Ensino de Graduação, com base no parecer do professor da disciplina, o deferimento ou não do pedido.

Art. 123 – As notas bimestrais e a média resultante do exame final deverão ser encaminhadas ao setor competente nos prazos fixados pelo calendário escolar.

 

SEÇÃO II

DOS EXAMES FINAIS

Art. 124 – Será concedido exame final ao aluno que, com frequência mínima de 75 (setenta e cinco por cento) obtiver na disciplina, média inferior a 60 (sessenta) e igual ou superior a 40 (quarenta).

Art. 125 – Não haverá exame final nas disciplinas que envolvam conteúdos essencialmente práticos.

§ 1º Além dos estágios supervisionados, os Colegiados de Cursos poderão indicar outras disciplinas que, por sua natureza essencialmente prática, torna impossível ou inadequada a aplicação do exame final, a serem aprovadas pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão.

§ 2º A nota mínima de aprovação, nestes casos, deverá ser igual ou superior a 60 sessenta.

 

SEÇÃO III

DA APROVAÇÃO E REPROVAÇÃO

Art. 126 – Será considerado aprovado, em cada disciplina, sem exame final, o aluno que, cumprir a exigência de 75% (setenta e cinco por cento) de frequência, obtiver média igual ou superior a 60 (sessenta), resultante da média aritmética das notas atribuídas nos bimestres, passando esta média a constituir sua nota final na disciplina.

Art. 127 – Será considerado aprovado, após o exame final, o aluno que obtiver média final 60 (sessenta), resultante da média aritmética entre a média semestral e a nota do exame final.

Art. 128 – Será considerado reprovado na disciplina o aluno que:

a) tiver média semestral inferior a 40 (quarenta);

b) tiver obtido média semestral inferior a 60 (sessenta), após a realização do exame final;

c) tiver frequência inferior a 75% (setenta e cinco por cento); que podem ser acessados nos links abaixo: [o arquivo está disponibilizado em pdf].

 

Regimento Interno e Resoluções do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Clique nos títulos para download)

NORMAS GERAIS

1. RESOLUÇÃO Nº 05/2006 DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO.

Dispõe sobre critérios do Regime de Promoção, das Avaliações Parciais.

2. RESOLUÇÃO Nº 02/2005 DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO.

Dispõe sobre critérios para revisão de prova

3. RESOLUÇÃO Nº 03/2005 DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO.

Dispõe a respeito das atividades de Estágio dos Cursos de Licenciatura.

4. RESOLUÇÃO Nº 04/2005 DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO.

Dispõe sobre critérios para aluno que perde trabalhos feitos em sala de aula.

No ano de 2017, o curso de Enfermagem do UNICERP recebeu avaliação in loco do MEC. Os avaliadores consideraram o curso como 4, considerado excelente pela variação entre 1 e 5. Foram analisados a infraestrutura da Instituição, que possui um renovado e amplo Centro de Saúde, o projeto do curso e o corpo docente.

Fale com a coordenadora do curso, Profa. Me. Angela Maria Drumond Lage

Telefone geral: (34) 3839.3737 – Ramal: 206

Secretaria da coordenação: (34) 3839.3710

Coordenação: (34) 3839.3728

E-mail: enfermagem@unicerp.edu.br

Vivência Clínica

As atividades de vivência clínica são elementos constitutivos do processo de ensino-aprendizagem da matriz curricular do Curso de Graduação em Enfermagem e, portanto, procedimentos técnicos didático-pedagógicos obrigatórios e dos quais dependem a outorga de grau e o respectivo Registro do Diploma de Conclusão do Curso. São realizadas pelo aluno sob supervisão direta de um docente, a partir do 4º período, sendo desenvolvidas em instituições de natureza pública, privada ou de economia mista, com ou sem fins lucrativos, desde que conveniada com a mantenedora do UNICERP.

Clique aqui e acesse o arquivo

 

Estágio curricular

Além do conteúdo teórico e prático desenvolvido ao longo da formação do enfermeiro, o curso de enfermagem deverá incluir, obrigatoriamente, no seu currículo o Estágio Curricular Supervisionado em hospitais, ambulatórios e Rede Básica de Serviços de Saúde.

O mesmo será realizado nos dois últimos períodos do curso de Enfermagem, com carga horária total de 800 horas/aulas.

Este estágio deverá ser desenvolvido sob supervisão docente e observará uma programação e avaliação específica. Na elaboração da programação do estágio, será assegurada a participação do enfermeiro que atua no serviço onde se desenvolver o referido estágio.

Acesse o Manual de Estágio do curso de Enfermagem - 2017

 

TCC (Trabalho de Conclusão de Curso)

O Projeto Pedagógico do Curso de Enfermagem do Centro Universitário do Cerrado - Patrocínio (UNICERP) fundamenta a ação pedagógica, a ser desenvolvida junto aos alunos, na exigência da produção, construção e socialização de conhecimentos, habilidades e competências, que permitam a sua inserção no cenário complexo do mundo contemporâneo.

Nesse sentido, desde o início do curso, o processo de pesquisa é implementado no âmbito das várias disciplinas, culminando com a elaboração e apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso – TCC.

Trata-se de um momento privilegiado de síntese e demonstração, por parte do aluno de Enfermagem, das aprendizagens conquistadas no decorrer do curso. Aprendizagens que devem ser significativas e alicerçadas na fundamentação dos saberes próprios da respectiva área de formação e evidenciem a produção de conhecimento relevante, face às demandas da sociedade.

Clique aqui e acesse o arquivo

 

Trabalhos de Conclusão de Curso de Enfermagem 1ª Turma

Trabalhos de Conclusão de Curso de Enfermagem 2ª Turma

Trabalhos de Conclusão de Curso de Enfermagem 3ª Turma

Trabalhos de Conclusão de Curso de Enfermagem 4ª Turma

Trabalhos de Conclusão de Curso de Enfermagem 5ª Turma

Trabalhos de Conclusão de Curso de Enfermagem - 2013

Trabalhos de Conclusão de Curso de Enfermagem 6ª Turma

Trabalhos de Conclusão de Curso de Enfermagem 7ª Turma

Relação de Trabalhos de Conclusão de Curso aprovados em 2015

Relação de Trabalhos de Conclusão de Curso aprovados em 2016

Prevenção e controle de doenças e agravos 
Compreende estudos sobre prevenção e controle de doenças infecciosas, parasitárias, crônico-degenerativas, problemas nutricionais, bem como estudo de morbi-mortalidade, com ênfase em saúde coletiva, epidemiologia, educação ambiental, educação em saúde e abordagem antropológica do processo saúde-doença.

 

Assistência de Enfermagem nas diversas fases do ciclo vital e do processo de saúde-doença
Compreende estudos sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem em ações de promoção, prevenção, tratamento e reabilitação no processo saúde–doença nas diversas fases do ciclo vital da mulher, criança, adolescente, jovem, adulto e idoso, com ênfase em saúde reprodutiva, urgência e emergência, violências, saúde mental e educação em saúde.

 

Administração de Serviços de Enfermagem
Compreende estudos sobre gerenciamento de serviço de enfermagem e recursos humanos, gestão, auditoria, políticas publicas de saúde e avaliação da assistência nos diversos setores das instituições públicas e privadas, na saúde coletiva e na área hospitalar.

Casa do Idoso Recanto São Vicente

Cofen – Conselho Federal de Enfermagem

Coren – Conselho Regional de Enfermagem de Minas Gerais

Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais – Patrocínio

Farmácia Nacional

Hospital do Câncer de Patrocínio Dr. José Figueiredo

Hospital MedCenter

Laboratório Núcleo

Laboratório Santos

Laboratório Siqueira

Prefeitura de Patrocínio

Santa Casa de Patrocínio

Objetivos

Objetivos gerais

O Curso de Enfermagem do UNIVERP objetiva proporcionar formação técnico-científica, social, política e cultural ao profissional enfermeiro para que este possa interagir e intervir nas situações vivenciadas, relacionadas a problemas-situações do processo saúde-doença de indivíduos, famílias e comunidades.

Além disso, contribuir para a formação de profissionais generalistas, críticos, reflexivos, investigativos e responsáveis diante do contexto saúde-doença, com uma visão social, ética e política, desenvolvendo e aplicando os conhecimentos adquiridos e produzidos para o aprimoramento da qualidade de vida da sociedade em que vivem e das organizações em que atuam.

 

Objetivos específicos

• Assegurar a articulação entre o ensino, pesquisa e extensão/assistência, garantindo um ensino crítico, reflexivo e criativo, que leve a construção do perfil almejado, estimulando a realização de experimentos e/ou de projetos de pesquisa; socializando o conhecimento produzido, levando em conta a evolução epistemológica dos modelos explicativos do processo saúde-doença;

• Desenvolver as atividades curriculares, na busca da interdisciplinaridade, tendo como base de construção do perfil almejado e a integração entre ensino, pesquisa, extensão/assistência;

• Ministrar os conteúdos essenciais previstos na estrutura curricular por meio das atividades teóricas, práticas, complementares, elaboração de trabalho de conclusão de curso e estágio curricular supervisionado, de forma integrada e criativa, considerando a realidade sóciopolíticocultural nacional e local;

• Desenvolver as competências e habilidades gerais e específicas necessárias ao exercício profissional do enfermeiro articuladas aos contextos sóciopolíticocultural nacional e local;

• Implementar metodologias no processo ensinar-aprender que estimulem o aluno a refletir sobre a realidade social e aprenda a aprender;

• Utilizar estratégias pedagógicas que articulem o saber; o saber fazer e o saber conviver, visando desenvolver o aprender a aprender, o aprender a ser, o aprender a fazer, o aprender a viver juntos e o aprender a conhecer que constitui atributos indispensáveis à formação do enfermeiro;

• Promover a articulação das atividades teóricas e práticas desde o início do processo de formação do enfermeiro, permeando-a de forma integrada e interdisciplinar;

• Favorecer o desenvolvimento de atividades de Enfermagem, de modo integral, nos diferentes níveis de atenção à saúde do indivíduo, família e dos grupos sociais, assegurando o cuidar com qualidade;

• Estimular dinâmicas de trabalho em grupos, por favorecerem a discussão coletiva e as relações interpessoais;

• Fomentar a valorização das dimensões éticas e humanísticas da profissão, desenvolvendo no aluno atitudes e valores orientados para a cidadania e para a solidariedade;

• Fortalecer o reconhecimento do futuro profissional como agente transformador do processo de trabalho, procurando contribuir no aperfeiçoamento das dinâmicas institucionais, observando os princípios éticos e humanísticos;

• Promover a inserção da comunidade acadêmica nas ações de saúde promovidas pelo Sistema de Saúde.

 

Perfil Profissional do Egresso

O egresso do Curso de Graduação em Enfermagem do UNICERP pode ser apresentado com um Enfermeiro, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Profissional qualificado para o exercício de Enfermagem, com base no rigor científico e intelectual e pautado em princípios éticos, exercendo a Enfermagem nas áreas assistencial, administrativa, socioeducativa, ensino e pesquisa, sendo capaz de conhecer e intervir sobre os problemas/situações de saúde-doença mais prevalentes no perfil epidemiológico nacional, com ênfase na sua região de atuação, identificando as dimensões biopsicossociais dos seus determinantes. Capacitado a atuar, com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, como promotor da saúde integral do ser humano.

O enfermeiro graduado pelo Curso de Bacharelado de Enfermagem do UNICERP atuará no mercado de trabalho como generalista / empreendedor, crítico / reflexivo, humanista e ético / político com competência técnico-científica, criativo, intuitivo pautado em princípios éticos, exercendo a Enfermagem nas áreas assistencial, administrativa, sócio-educativa, ensino e pesquisa, conhecendo e intervindo sobre os problemas / situações de saúde-doença mais prevalentes no perfil epidemiológico nacional, com ênfase na sua região de atuação, identificando as dimensões biopsicossociais de seus determinantes. Capacitado a atuar, com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, como promotor de saúde integral do ser humano.

Desta forma, o curso oferece subsídios para tornar o profissional apto a:

• Atuar profissionalmente compreendendo a natureza humana em suas dimensões, expressões e fases evolutivas;

• Incorporar a ciência/arte do cuidar como instrumento de interpretação profissional;

• Reconhecer a estrutura e as formas de organização social, suas transformações e expressões;

• Reconhecer as relações de trabalho e sua influência na saúde;

• Sentir-se membro do seu grupo profissional;

• Reconhecer-se como sujeito no processo de formação de recursos humanos;

• Comprometer-se com os investimentos voltados para a solução de problemas sociais;

• Reconhecer o perfil epidemiológico das populações e responder às especialidades regionais de saúde, através de intervenções planejadas estrategicamente, em níveis de promoção, prevenção, proteção e reabilitação à saúde;

• Responsabilizar-se pela qualidade da assistência de enfermagem prestada ao ser humano nos vários níveis de saúde (primário, secundário e terciário) em conjunto com a equipe de Enfermagem;

• Planejar e implementar pesquisas e outras produções do conhecimento que promovam a qualificação do fazer do enfermeiro;

• Participar das associações e conselhos profissionais e cooperativas de saúde e/ou Enfermagem;

• Promover avaliação e auditoria das ações de Enfermagem;

• Desenvolver inteligência interpessoal (saber trabalhar em grupo).

O Curso de Enfermagem do centro Universitário do Cerrado - Patrocínio visa formar o profissional enfermeiro, com competência técnica, científica, ética, política, social e cultural para atuar na promoção, prevenção, cura e recuperação da saúde.

O enfermeiro desempenhará sua função de articulador do processo de trabalho em saúde na multidimensionalidade de sua prática, intervindo ativamente no planejamento, execução e avaliação de ações em saúde.

O enfermeiro atuará como membro formador de recursos humanos na área de enfermagem, priorizando práticas de ensino que valorizem o “saber popular” e introduzam o “saber científico”.

O enfermeiro incentivará e desenvolverá trabalhos científicos que colaborem na evolução de profissão e do profissional.

O enfermeiro será um agente de aprimoramento do “fazer” em enfermagem comprometendo-se não somente com a reprodução prática do saber apreendido mas, ao contrário, comprometendo-se com a tomada de uma postura reflexiva e crítica no exercício da enfermagem.

A enfermagem deverá incorporar vários campos do conhecimento humano norteada pela compreensão da natureza humana, pelo humanismo e pela solidariedade.

 

Competência e Habilidades

De acordo com as Diretrizes Curriculares da Área de Enfermagem, editadas mediante a Resolução CES/CNE nº. 03/2001, de 07 de novembro de 2001, com fundamento no Parecer CES/CNE nº. 1133/2001, de 07 de agosto de 2001, buscar-se-á desenvolver os profissionais para o desenvolvimento de atitude científica, o compromisso com a realidade sócio-econômica-político-cultural do País e da Região na qual está inserido, a ética profissional, a liderança, e o trabalho participativo em equipe.

A formação do enfermeiro, segundo as Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação em Enfermagem, tem por objetivos dotar o profissional dos conhecimentos requeridos para o exercício das seguintes competências e habilidades gerais:

• Atenção à saúde;

• Tomada de decisões;

• Comunicação;

• Liderança;

• Administração e gerenciamento;

• Educação permanente

A formação do enfermeiro tem por objetivo dotar o profissional dos conhecimentos requeridos para o exercício das seguintes competências e habilidades específicas:

• Atuar profissionalmente, compreendendo a natureza humana em suas dimensões, em suas expressões e fases evolutivas;

• Incorporar a ciência/arte do cuidar como instrumento de interpretação profissional;

• Estabelecer novas relações com o contexto social, reconhecendo a estrutura e as formas de organização social, suas transformações e expressões;

• Desenvolver formação técnico-científica que confira qualidade ao exercício profissional;

• Compreender a política de saúde no contexto das políticas sociais, reconhecendo os perfis epidemiológicos das populações;

• Reconhecer a saúde como direito e condições dignas de vida e atuar de forma a garantir a integralidade da assistência, entendida como conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema;

• Atuar nos programas de assistência integral à saúde da criança, do adolescente, da mulher, do adulto e do idoso;

• Ser capaz de diagnosticar e solucionar problemas de saúde, de comunicar-se, de tomar decisões, de intervir no processo de trabalho, de trabalhar em equipe e de enfrentar situações em constante mudança;

• Reconhecer as relações de trabalho e sua influência na saúde;

• Atuar como sujeito no processo de formação de recursos humanos;

• Responder às especificidades regionais de saúde através de intervenções planejadas estrategicamente, em níveis de promoção, prevenção e reabilitação à saúde, dando atenção integral à saúde dos indivíduos, das famílias e das comunidades;

• Reconhecer-se como coordenador do trabalho da equipe de enfermagem;

• Assumir o compromisso ético, humanístico e social com o trabalho multiprofissional em saúde.

• Promover estilos de vida saudáveis, conciliando as necessidades tanto dos seus clientes/pacientes quanto às de sua comunidade, atuando como agente de transformação social;

• Usar adequadamente novas tecnologias, tanto de informação e comunicação, quanto de ponta para o cuidar de enfermagem;

• Atuar em diferentes cenários da prática profissional, considerando os pressupostos dos modelos clínico e epidemiológico;

• Identificar as necessidades individuais e coletivas de saúde da população, seus condicionantes e determinantes;

• Intervir no processo de saúde-doença, responsabilizando-se pela qualidade da assistência/cuidado de enfermagem em seus diferentes níveis de atenção à saúde, com ações de promoção, prevenção, proteção e reabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência;

• Coordenar o processo de cuidar em enfermagem, considerando contextos e demandas de saúde;

• Prestar cuidados de enfermagem compatíveis com as diferentes necessidades apresentadas pelo indivíduo, pela família e pelos diferentes grupos da comunidade;

• Compatibilizar as características profissionais dos agentes da equipe de enfermagem às diferentes demandas dos usuários;

• Integrar as ações de enfermagem às ações multiprofissionais;

• Gerenciar o processo de trabalho em enfermagem com princípios de ética e de bioética, com resolutividade tanto em nível individual como coletivo em todos os âmbitos de atuação profissional;

• Planejar, implementar e participar dos programas de formação e qualificação contínua dos trabalhadores de enfermagem e de saúde;

• Planejar e implementar programas de educação e promoção à saúde, considerando a especificidade dos diferentes grupos sociais e dos distintos processos de vida, saúde, trabalho e adoecimento;

• Desenvolver, participar e aplicar pesquisas e/ou outras formas de produção de conhecimento que objetivem a qualificação da prática profissional;

• Respeitar os princípios éticos, legais e humanísticos da profissão;

• Interferir na dinâmica de trabalho institucional, reconhecendo-se como agente desse processo;

• Utilizar os instrumentos que garantam a qualidade do cuidado de enfermagem e da assistência à saúde;

• Participar da composição das estruturas consultivas e deliberativas do sistema de saúde;

• Assessorar órgãos, empresas e instituições em projetos de saúde;

• Cuidar da própria saúde física e mental e buscar seu bem-estar como cidadão e como enfermeiro;

• Reconhecer o papel social do enfermeiro para atuar em atividades de política e planejamento em saúde.

 

Metodologia

A metodologia indica as grandes linhas de ação utilizadas pelos professores em suas aulas, pois é o meio de que lança mão para trabalhar os conteúdos curriculares e alcançar os objetivos pretendidos. As linhas de trabalho estão centradas na valorização do processo ensino-aprendizagem que provoque uma postura dinâmica e crítica dos alunos, assim como na utilização de ferramentas de ensino que contribuam para a implementação de um processo ensino-aprendizagem emancipatório, que permita a abertura de espaços para a reflexão e a construção do conhecimento. Assim sendo, a metodologia utilizada encontra-se comprometida com o desenvolvimento do espírito científico, com a formação de sujeitos autônomos e cidadãos. Valoriza o processo ensinar-aprender que estimula o aluno a refletir sobre a realidade social e aprenda a aprender.

A metodologia decorrente da relação teoria e prática se fundamenta no eixo articulador da produção do conhecimento na dinâmica do currículo e por meio de vivências nas diversas disciplinas que envolvem a observação, a avaliação o acompanhamento e a intervenção na promoção, prevenção e reabilitação da saúde. O processo de formação do enfermeiro busca associar teoria e prática no sentido de fazer com que o discente vivencie, aprenda e desenvolva as atividades relacionadas à assistência à saúde, nas diversas fases do ciclo vital humano. Portanto, as temáticas formadoras do enfermeiro buscam integrar o discente nos principais segmentos da profissão: sistematização da assistência em enfermagem, administração e gestão de serviços, educação em saúde, atenção à saúde em saúde pública e em instituições hospitalares de média e alta complexidade.

Assim sendo, no desenvolvimento do Curso de Enfermagem do UNICERP são utilizadas metodologias interativas, centradas no aluno e voltadas para o seu desenvolvimento intelectual. As estratégias pedagógicas articulam o saber; o saber fazer e o saber conviver, visando desenvolver o aprender a aprender, o aprender a ser, o aprender a fazer, o aprender a viver juntos e o aprender a conhecer que constitui atributos indispensáveis à formação do Enfermeiro. Entre as estratégias de ensino que são utilizadas, destacam-se:

a) aulas teóricas, teórico-práticas, práticas, conferências e palestras;

b) projetos de investigação científica, numa perspectiva interdisciplinar;

c) práticas didáticas na forma de monitorias, demonstrações e exercícios etc.;

d) consultas supervisionadas em biblioteca para identificação crítica de fontes relevantes;

e) aplicação e avaliação de estratégias, técnicas, recursos e instrumentos da área;

f) visitas, documentadas através de relatórios, a pessoas jurídicas de direito público e privado;

g) projetos de extensão e eventos de divulgação do conhecimento;

h) elaboração e avaliação de projetos para organizações;

i) realização de atividades extracurriculares;

j) estudo de casos;

k) práticas integrativas voltadas para o desenvolvimento de competências e habilidades em situações de complexidade variada, representativas do efetivo exercício profissional, sob a forma de práticas de ensino em unidades de saúde e de estágio supervisionado (desenvolvidas, também, de acordo com as necessidades da região de saúde e articuladas com as políticas públicas do SUS).

No caso da técnica de aula expositiva nas suas formas participativa e dialógica, a atuação do professor não se restringirá à mera transmissão de conhecimentos, sendo-lhes destinada a tarefa mais importante de desenvolver no aluno o hábito de trazer para debate questões que ultrapassem os rígidos limites teóricos, levando-os, assim, a repensar o conhecimento.

Também como opção metodológica para os diversos componentes curriculares que compõem a matriz curricular dos cursos do UNICERP, pode-se citar a utilização de pesquisas pontuais voltadas para o aprofundamento e o aperfeiçoamento do conhecimento, assim como para o desenvolvimento de competências e habilidades.

Será dedicada atenção especial a garantia da acessibilidade plena (inclui a metodológica / pedagógica e a atitudinal).  A acessibilidade metodológica ou pedagógica é referente às barreiras nas formas de organização do espaço pedagógico, incluindo metodologias de ensino. É estimulado o uso entre os docentes, de ferramentas informatizadas que permitam o acesso dos alunos aos textos e outros materiais didáticos em mídias eletrônicas. Está garantida a ausência de barreiras nas metodologias e técnicas de estudo. Os professores promovem processos de diversificação curricular, flexibilização do tempo e utilização de recursos para viabilizar a aprendizagem de estudantes com deficiência. Com o progresso de todos os alunos ao longo do curso, há crescente envolvimento com a metodologia de aprendizagem proposta, centrada no aluno, a qual incentiva e facilita o estudo independente tanto de forma individual como em equipe. Isso ajuda a fomentar o desenvolvimento de uma abordagem voltada para a aprendizagem permanente.

A acessibilidade atitudinal refere-se à percepção do outro sem preconceitos, estigmas, estereótipos e discriminações. Todos os demais tipos de acessibilidade estão relacionados a essa, pois é a atitude da pessoa que impulsiona a remoção de barreiras.

 

PARA DOWNLOAD:

ALMEIDA, Ana Carolina Alves. ANÁLISE DO ABSENTEISMO EM UMA INDÚSTRIA FRIGORÍFICA. 2017. 46 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

CAIXETA, Jéssica Fernanda. ANÁLISE DA SITUAÇÃO VACINAL CONTRA A HEPATITE B EM PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM. 2017. 48 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

DAMACENA, Lara Cristina Alves. CONFLITOS ASSOCIADOS A AUTOESTIMA E IMAGEM CORPORAL VIVENCIADOS APÓS A DESCOBERTA DA GESTAÇÃO NA ADOLESCÊNCIA. 2017. 54 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

GARDIM, Michela Ortiz. VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO. 2017. 48 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

MARTINS, Adriana de Fátima. PERFIL SOCIODEMOGRÁFICO E EPIDEMIOLÓGICO DE HIPERTENSOS E DIABÉTICOS ACOMPANHADOS PELA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA NO INTERIOR DE MINAS GERAIS. 2017. 41 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

MARTINS, Danielle. CONHECIMENTO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM SOBRE OS CUIDADOS PALIATIVOS EM PACIENTES TERMINAIS DE UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA. 2017. 43 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

NUNES, Maria da Graça Vieira. O AUTOCUIDADO COM A FÍSTULA ARTERIOVENOSA PARA A CONTINUIDADE DO TRATAMENTO HEMODIALÍTICO. 2017. 53 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

ROSA, Pedro Henrique Silva. HUMANIZAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA: uma visão multiprofissional.2017. 62 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

SILVA, Nadiara Suza Reis. ANÁLISE DO ESTRESSE OCUPACIONAL EM DOCENTES DA ÁREA DA SAÚDE DE UMA INSTITUIÇÃO PARTICULAR DO INTERIOR DE MINAS GERAIS. 2017. 42 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

VIEIRA, Núbia Luzia Gonzaga. PERFIL DE PACIENTES COM REINTERNAÇÃO EM UMA UNIDADE HOSPITALAR DE SAÚDE MENTAL, POR USO PREJUDICIAL DE SUBSTÂNCIA PSICOATIVA. 2017. 39 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - Unicerp, Patrocínio/MG, 2017.

*Clique no título do trabalho para acessar em PDF

BRITO, Amanda Lorraine de. DOR TORÁCICA: abordagem do manejo e assistência de enfermagem2018. 47 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, Patrocínio/MG, 2018.

GOMES, Márcio Afonso. PERCEPÇÃO DO USUÁRIO SOBRE A ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NO ACOMPANHAMENTO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL EM UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE2018. 43 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, Patrocínio/MG, 2018.

JESUS, Bhrenda Thayná Bernardes de. VIVÊNCIA DO ENFERMEIRO ACERCA DO DIAGNÓSTICO DE MORTE ENCEFÁLICA EDO PROCESSO DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS2108. 58 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, Patrocínio/MG, 2018.

PEREIRA, Nagila Sthefany Carvalho. ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO DIANTE A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS2018. 45 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, Patrocínio/MG, 2018.

ROCHA, Robson Machado. DIFICULDADES ENFRENTADAS PELA EQUIPE DE ENFERMAGEM NA SALA DE VACINAÇÃO PARA O ALCANCE DE COBERTURAS VACINAIS2018. 57 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, Patrocínio/MG, 2018.

ROSA, José Henrique do Nascimento Domingos. HUMANIZAÇÃO SOB A ÓTICA DA FAMÍLIA NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA2018. 45 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, Patrocínio/MG, 2018.

SILVEIRA, Gabriela Francine Gaspar. VISÃO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM FRENTE AO PACIENTE EM CUIDADOS PALIATIVOS HOSPITALIZADO EM UNIDADE DE CLÍNICA MÉDICA2018. 42 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, Patrocínio/MG, 2018.

SOUZA, Hudson Carvalho de. PERCEPÇÃO DA EQUIPE MULTIDISCIPLINAR SOBRE AS PRÁXIS DE REDUÇÃO DE DANOS2018. 48 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, Patrocínio/MG, 2018.