Fonoaudiologia

Denominação

Curso de Fonoaudiologia

Turno de funcionamento

Noturno

Número de vagas anuais

50

Duração

4 anos, perfazendo um total de 3.660 horas.

Limite Mínimo: 08 semestres.

Limite Máximo: 14 semestres.

Dimensionamento das turmas

Turmas com no máximo 50 alunos

Regime de matrícula

Semestral

Mensalidades (2019)

1º período - R$ 1.210,00

3º período - R$ 1.210,00

5º período - R$ 1.210,00

7º período - R$ 1.210,00

Ato regulatório

Modalidade: Bacharelado em Fonoaudiologia. Renovação de Reconhecimento pelo MEC conforme Portaria nº 276 de 20/04/2018, Data da Publicação 23/04/2018

Coordenação

Prof.ª Dr.ª Marlice Fernandes de Oliveira

Formação: Possui graduação em Fonoaudiologia pela Universidade Católica de Petrópolis (1980), especialização em Voz pelo Centro de Estudos da Voz, mestrado em Ciências pela Universidade Federal de Uberlândia (2007) e doutorado em Ciências da Saúde pela UFU (2018).  

Ano em que ingressou na instituição: 2007

Lattes: http://lattes.cnpq.br/4341244134410102

Sobre o curso

A profissão de Fonoaudiólogo vem expandindo a sua autonomia e a sua área de abrangência, atuando ao lado de outros ramos das ciências, ocupando o lugar que lhe compete no estudo e no desenvolvimento do bem-estar do ser humano, sempre dentro das determinações da Lei que rege a profissão.

Indicadores demonstram a grande incidência de portadores de deficiência auditiva e mental com dificuldade de acesso à tratamento fonoaudiológico específico pela distância aos grandes centros e pela carência de profissionais da área na cidade de Patrocínio e região. E ainda o fato da região ser potencialmente composta por zona rural torna a prevenção deficitária pela dificuldade de acesso à informação, aumentando a incidência de portadores de deficiências.

Assim, entendendo que o fonoaudiólogo deve assumir uma parcela desta responsabilidade, torna-se finalidade do Curso de Fonoaudiologia do Centro Universitário do Cerrado Patrocínio, que os profissionais egressos do Curso de Fonoaudiologia estejam preparados para realizar programas de prevenção e intervenções fonoaudiológicas e estejam em número suficiente para modificar este contexto.

Mercado de trabalho

A Fonoaudiologia é a profissão da área da saúde que atua em pesquisa, prevenção, avaliação e tratamento dos distúrbios da comunicação oral e escrita, voz, motricidade orofacial, audição, reabilitação vestibular, bem como no aperfeiçoamento dos padrões da fala e da voz. Nas diversas áreas, atua desde o recém-nascido até a terceira idade.

O fonoaudiólogo trabalha em consultórios, clínicas, ambulatórios, hospitais, maternidades, asilos, home care, e em parceria com otorrinolaringologistas, neurologistas, ortodontistas, fisioterapeutas, psicólogos, entre outros. Trabalha ainda em emissoras de televisão, empresas de telemarketing, centros auditivos, escolas especiais e de ensino regular, etc.

O fonoaudiólogo clínico atua na reabilitação de uma diversidade de distúrbios, tais como: os distúrbios da voz, da deglutição, linguagem, motricidade oral, audição e do labirinto.

As possibilidades de emprego estão em grande expansão e com mercado crescente no serviço público (Núcleo de Atenção da Saúde da Família), na área de consultoria fonoaudiológica em empresas, na área pericial (fonoaudiologia forense), na área da fonoaudiologia hospitalar, na área da fonoaudiologia educacional, fonoaudiologia estética, entre outros.

Segmentos como fonoaudiologia hospitalar e escolar constituem grandes frentes de contratação, mas não há profissionais em números suficientes para suprir essa demanda.

Hospitais por todo o país contratam o fonoaudiólogo para fazer a triagem auditiva neonatal (teste da orelhinha), detectando precocemente problemas de audição em todos os recém-nascidos. Esses profissionais também auxiliam na terapia de bebês com dificuldades para sugar o seio materno e em bebês de risco em UTIs neonatais. Ainda nos hospitais, o fonoaudiólogo atua nos leitos e UTIs adulto na reabilitação da fala e deglutição em sequelas de acidentes vasculares encefálicos e traumatismos cranianos.

Os concursos públicos são também uma opção para o profissional em fonoaudiologia. Nos últimos anos, diversos concursos públicos no país apresentaram vagas para a contratação de fonoaudiólogos, tanto estaduais, quanto municipais e federais.

QUANTO GANHA UM FONODIOLOGO?*

*Fonte: Educa Mais Brasil

Salário médio

R$ 2.145,18

Trainee/Júnior

R$ 1.541,42 a R$ 3.256,24

Pleno

R$ 2.408,46 a R$ 4,070,30

Sênior/Master

R$ 3.010,58 a R$ 6.359,85

Formas de acesso ao curso

O acesso ao curso de Fonoaudiologia do UNICERP pode ser feito por uma das opções abaixo:

• Exame vestibular realizado anualmente;

• Pela nota do ENEM;

• Matrícula com isenção de processo seletivo (vestibular) para portadores de diploma de graduação (para vagas remanescentes);

• Matrículas decorrentes de transferências externas para alunos cursando Fonoaudiologia em outras IES (para vagas remanescentes);

• Matrícula decorrente de mudança de curso, para alunos já matriculados em outros cursos do UNICERP (para vagas remanescentes).

Mais informações

As formas de avaliação são normatizadas pelo Regimento Interno e Resoluções do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão.

REGIMENTO GERAL DO UNICERP - Aprovado em reunião do Conselho Universitário do Centro Universitário do Cerrado Patrocínio - UNICERP, em reunião no dia 26 de dezembro de 2006.

 

CAPÍTULO VI

DO REGIME DE PROMOÇÃO

SEÇÃO I

DAS AVALIAÇÕES PARCIAIS

Art. 116 – A verificação do desempenho acadêmico será feita por disciplina, compreendendo a apuração do rendimento escolar e da assiduidade.

Art. 117 – O rendimento escolar será aferido através de avaliações parciais realizadas ao longo do semestre letivo e pelo exame final.

Parágrafo Único – As avaliações para aferimento do rendimento escolar, de acordo com a natureza da disciplina, poderão ser realizadas de múltiplas formas, processos e técnicas adequadas a cada situação, conforme normas a serem baixadas pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão.

Art. 118 – Ao final de cada bimestre letivo será atribuído ao aluno uma nota resultante da somatória de pelo menos, duas formas de avaliação.

§ 1º Nas disciplinas com mais de duas aulas semanais deverão ser aplicadas pelo menos duas provas escritas e uma outra forma de avaliação.

§ 2º Será facultado, nas disciplinas com até 2 (duas) aulas semanais, ouvido o Colegiado de Curso, a aplicação de apenas uma prova escrita e outra forma de avaliação, para obtenção da nota bimestral.

§ 3º Ficarão a critério do Colegiado de Curso, aprovados pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, a forma e o número de avaliações nas disciplinas ministradas nos estágios supervisionados.

Art. 119 – A forma e os critérios estabelecidos para obtenção das médias bimestrais de cada disciplina deverão constar dos planos de ensino aprovados pelo Colegiado de Curso, os quais deverão ser comunicados aos alunos no início do semestre letivo.

Parágrafo Único – Caberá ao professor da disciplina escolher a forma de avaliação e sua aplicação, bem como proceder ao respectivo julgamento.

Art. 120 – O resultado da avaliação bimestral será expresso em escala de (0) zero a (100) cem, sem casa decimal.

Art. 121 – É assegurado ao aluno o direito de requerer, via Protocolo, a revisão de provas escritas e gráficas, desde que devidamente fundamentada e no prazo de 48 (quarenta e oito) horas a contar da divulgação da nota pelo professor em sala de aula.

Parágrafo Único – O processo de revisão de prova e seus possíveis recursos serão regulamentados pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão.

Art. 122 – O aluno que deixar de comparecer à prova escrita, gráfica, oral ou de outra forma de avaliação pré-determinada, bem como ao exame final, deverá requerer segunda chamada junto ao Protocolo, no prazo de 48 (quarenta e oito) horas, justificando a ausência e apresentando documento comprobatório, se solicitado.

Parágrafo Único – Caberá ao Diretor de Ensino de Graduação, com base no parecer do professor da disciplina, o deferimento ou não do pedido.

Art. 123 – As notas bimestrais e a média resultante do exame final deverão ser encaminhadas ao setor competente nos prazos fixados pelo calendário escolar.

 

SEÇÃO II

DOS EXAMES FINAIS

Art. 124 – Será concedido exame final ao aluno que, com frequência mínima de 75 (setenta e cinco por cento) obtiver na disciplina, média inferior a 60 (sessenta) e igual ou superior a 40 (quarenta).

Art. 125 – Não haverá exame final nas disciplinas que envolvam conteúdos essencialmente práticos.

§ 1º Além dos estágios supervisionados, os Colegiados de Cursos poderão indicar outras disciplinas que, por sua natureza essencialmente prática, torna impossível ou inadequada a aplicação do exame final, a serem aprovadas pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão.

§ 2º A nota mínima de aprovação, nestes casos, deverá ser igual ou superior a 60 sessenta.

 

SEÇÃO III

DA APROVAÇÃO E REPROVAÇÃO

Art. 126 – Será considerado aprovado, em cada disciplina, sem exame final, o aluno que, cumprir a exigência de 75% (setenta e cinco por cento) de frequência, obtiver média igual ou superior a 60 (sessenta), resultante da média aritmética das notas atribuídas nos bimestres, passando esta média a constituir sua nota final na disciplina.

Art. 127 – Será considerado aprovado, após o exame final, o aluno que obtiver média final 60 (sessenta), resultante da média aritmética entre a média semestral e a nota do exame final.

Art. 128 – Será considerado reprovado na disciplina o aluno que:

a) tiver média semestral inferior a 40 (quarenta);

b) tiver obtido média semestral inferior a 60 (sessenta), após a realização do exame final;

c) tiver frequência inferior a 75% (setenta e cinco por cento); que podem ser acessados nos links abaixo: [o arquivo está disponibilizado em pdf].

 

Regimento Interno e Resoluções do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Clique nos títulos para download)

NORMAS GERAIS

1. RESOLUÇÃO Nº 05/2006 DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO.

Dispõe sobre critérios do Regime de Promoção, das Avaliações Parciais.

2. RESOLUÇÃO Nº 02/2005 DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO.

Dispõe sobre critérios para revisão de prova

3. RESOLUÇÃO Nº 03/2005 DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO.

Dispõe a respeito das atividades de Estágio dos Cursos de Licenciatura.

4. RESOLUÇÃO Nº 04/2005 DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO.

Dispõe sobre critérios para aluno que perde trabalhos feitos em sala de aula.

A última avaliação do curso de Fonoaudiologia do UNICERP aconteceu no ano de 2012. Uma comissão do MEC analisou in loco diversos aspectos, como o projeto do curso, a qualidade do corpo docente e estrutura física. O curso tem excelente conceito 4, em uma avaliação que vai de 1 a 5.

Fale com a coordenadora do curso, Profa. Me. Marlice Fernandes de Oliveira

Telefone geral: (34) 3839.3737 – Ramal: 209

Secretaria da coordenação: (34) 3839.3710

Coordenação: (34) 3839.3732

E-mail: fonoaudiologia@unicerp.edu.br

Estágio curricular

O Estágio Curricular Supervisionado pode ser caracterizado como ensino-serviço, tendo o professor-supervisor como facilitador do processo ensino-aprendizagem e o aluno como colaborador e executor das atividades de estágio. O supervisor acompanha o andamento do estágio através de supervisão direta dos estagiários na clínica-escola e/ou na instituição cedente de campo de estágio. Este estágio, de acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais deve ter a carga horária mínima de 20% da carga horária total do Curso de Graduação em Fonoaudiologia, com base no Parecer/Resolução específico da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação, perfazendo a carga horária total de 860 horas/aulas.

Manual de Estágio - 6ª Turma (2014-2017)

Manual de Estágio - 7ª Turma (2015-2018)

 

TCC (Trabalho de Conclusão de Curso)

 

O Trabalho de Conclusão de Curso é componente curricular obrigatório, enriquecedor e implementador do perfil do formando.

É concebido para propiciar ao aluno a oportunidade de realizar um exercício pedagógico concentrado, realizado em momento mais próximo do final do Curso de Fonoaudiologia, por meio do qual o é instado a exibir as competências e habilidades obtidas ao longo de sua formação. Nesse sentido, o Trabalho de Conclusão de Curso deve evidenciar uma capacidade de reflexão autônoma e crítica e, na perspectiva de uma educação continuada, abrir pistas possíveis e futuras de investigação.

De acordo com o artigo 4º do Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso do Curso de Fonoaudiologia do UNICERP, entende-se como Trabalho de Conclusão de Curso, a pesquisa, relatada sob a forma de monografia na área da Fonoaudiologia, desenvolvida individualmente pelo aluno, sob orientação docente.

Normas de TCC

Distúrbios auditivos e vestibulares

Objetivo: Estudar os sistemas auditivo e vestibular, suas relações com o desenvolvimento da comunicação, desenvolvimento cognitivo, emocional e social, diagnóstico e tratamento; assim como os programas de conservação da saúde auditiva e do sistema vestibular.

 

Voz e motricidade oral: avaliação e intervenção

Objetivo: Estudar as relações entre as dimensões orgânica, psíquica e sócio-cultural da voz, principalmente em contexto de uso profissional. Estudar as implicações das alterações de motricidade oral na fala e nas funções estomatognáticas, incluído também a avaliação e tratamento das disfagias infantil e adulto. Esta linha de pesquisa propõe ainda as relações entre motricidade oral e voz.

 

Linguagem: prevenção e tratamento

Objetivo: Estudar os transtornos de linguagem oral e/ou escrita na clínica fonoaudiológica em caráter preventivo e interceptativo nos diversos setores: clínico, educacional comum e educacional especial, bem como enfatizar avaliação e diagnóstico das patologias lingüísticas.

 

Fonoaudiologia e saúde pública

Objetivo: Estudar a abordagem fonoaudiológica em saúde pública com proposta voltada ao sistema de saúde no Brasil em todas as fases e níveis de atenção da saúde.

Grupo Microsom

Hospital MedCenter

Neurograff

Phonak

Prefeitura de Patrocínio

Santa Casa de Patrocínio

Telex

Unimed

Perfil

É a ciência que se ocupa da prevenção, do diagnóstico, da habilitação e reabilitação da voz, da audição, da motricidade oral, da leitura e da escrita

O fonoaudiólogo é o terapeuta que cuida das questões ligadas à comunicação oral e escrita. Ele trata deficiências de fala, audição, voz, escrita ou leitura. Atua em parceria com fisioterapeutas, otorrinolaringologistas, neurologistas e psicólogos no atendimento a crianças com dificuldade de aprendizado. Com dentistas, trata de males que podem causar ou agravar problemas ortodônticos, como vícios de mastigação e deglutição. Ele auxilia também profissionais que utilizam a voz, como cantores, atores e locutores e ainda pode trabalhar em clínicas, consultórios, escolas, hospitais e emissoras de televisão, etc.

 

Finalidade

Formar um profissional generalista com conhecimento técnico-científico para atuar na promoção, prevenção e reabilitação da linguagem oral e escrita, voz, audição e sistema miofuncional orofacial e cervical, realizando atendimento individual, coletivo, em instituições e com extensão à comunidade, com base em princípios humanistas e de interdisciplinaridade, tendo em vista o desenvolvimento de uma postura ética e crítico-reflexiva, norteada para a realidade social com base na disposição da Lei 6965 de 9 de dezembro de 1981.

 

Objetivos

Objetivos gerais

O objetivo da Fonoaudiologia é garantir ao futuro Bacharel em Fonoaudiologia uma formação profissional sólida e ampla, baseada numa integração das diversas áreas da Fonoaudiologia, com as competências, habilidades e posturas que permitam ao fonoaudiólogo aqui formado plena atuação na prevenção, pesquisa, avaliação e tratamento em de todas as áreas da Fonoaudiologia.

 

Objetivos específicos

Realizar atividades programadas nas diversas áreas específicas: audiologia clínica e educacional, processos e distúrbios da linguagem, processos e distúrbios da voz e das funções estomatognáticas;

Diagnosticar distúrbios da audição e da fala em neonatos, bebês de risco crianças, adultos e idosos;

Desenvolver programas de aperfeiçoamento vocal junto aos profissionais da voz;

Desenvolver programas de saúde auditiva e controle do ruído nas indústrias, empresas, etc;

Prevenir distúrbios da comunicação oral e escrita;

Promover programas de extensão para prestação de assistência ao paciente nos diferentes níveis de atenção à saúde.

Elaborar e executar projetos;

Acompanhar a evolução do pensamento científico na sua área de atuação;

Desenvolver ações estratégicas para diagnóstico dos distúrbios da comunicação, encaminhamento de soluções e determinação de conduta;

Organizar, coordenar e participar de equipes multiprofissionais;

Gerenciamento nas diferentes áreas do conhecimento fonoaudiológico;

Prestar consultorias, dar pareceres e realizar perícias relativas à área de Fonoaudiologia;

Desenvolver ações inovadoras e criar estratégicas com o objetivo de ampliar e aperfeiçoar sua área de atuação;

Com o objetivo de formar fonoaudiólogos que tenham as habilidades e competências mencionadas acima, estes devem obter, através das disciplinas obrigatórias, aqui definidas como núcleo comum, uma visão generalista da Fonoaudiologia. Pretende-se atingir tal meta oferecendo disciplinas básicas e específicas nos currículos de Bacharelado. O bacharel em Fonoaudiologia, além de poder atuar nos diferentes campos de trabalho abertos ao Fonoaudiólogo conforme a legislação, o que pressupõe uma excelente formação de um fonoaudiólogo, também deve estar apto à atividade de ensino.

*Clique no título do trabalho para acessar em PDF

CAIXETA, Marisluci Aparecida de Souza. O IMPACTO DA FONOAUDIOLOGIA JUNTO AOS PROFESSORES DE ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS. 2018. 47 f. TCC (Graduação) - Curso de Fonoaudiologia, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio-Unicerp, Patrocínio/MG, 2018.

COSTA, Laura Maia. A QUALIDADE DE VIDA EM VOZ E DISFAGIA EM IDOSOS. 2018. 51 f. TCC (Graduação) - Curso de Fonoaudiologia, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio-Unicerp, Patrocínio/MG, 2018.

CRUVINEL, Gabriela da Silva. O CONHECIMENTO DA ENFERMAGEM SOBRE A ASSISTÊNCIA AO IDOSO DISFÁGICO INSTITUCIONALIZADO. 2018. 39 f. TCC (Graduação) - Curso de Fonoaudiologia, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio-Unicerp, Patrocínio/MG, 2018.

DAMASCENO, Chayane Lorrane de Souza. RONCO E SAOS: Ánalise do grau de comprometimento das estruturas orais e incômodos à terceiros. 2018. 58 f. TCC (Graduação) - Curso de Fonoaudiologia, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio-Unicerp, Patrocínio/MG, 2018.

DORNELAS, Juliana Fátima da Silva. COMPARAÇÃO DA FADIGA VOCAL, SINTOMAS VOCAIS E DESVANTAGEM VOCAL ENTRE GRADUANDOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA QUE FAZEM E QUE NÃO FAZEM ESTÁGIO. 2018. 47 f. TCC (Graduação) - Curso de Fonoaudiologia, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio-Unicerp, Patrocínio/MG, 2018.

ESTEVES, Raphaela Líssea de Oliveira. SAÚDE, HIGIENE E PERCEPÇÃO DE SINTOMAS VOCAIS ENTRE PROFISSIONAIS E DISCENTES DA ÁREA DE DIREITO. 2018. 47 f. TCC (Graduação) - Curso de Fonoaudiologia, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio-Unicerp, Patrocínio/MG, 2018.

MOREIRA, Ana Carolina. PARÂMETROS VOCAIS ACÚSTICOS NA SENESCÊNCIA. 2018. 50 f. TCC (Graduação) - Curso de Fonoaudiologia, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio-Unicerp, Patrocínio/MG, 2018.

OLIVEIRA, Jéssica Marieta de Carvalho. PREVENÇÃO ESCOLAR: habilidades metafonológicas no início da alfabetização. 2018. 43 f. TCC (Graduação) - Curso de Fonoaudiologia, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio-Unicerp, Patrocínio/MG, 2018.

PAULA, Larissa Helena de. O CONHECIMENTO DOS PROFESSORES SOBRE A DISLEXIA. 2018. 55 f. TCC (Graduação) - Curso de Fonoaudiologia, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio-Unicerp, Patrocínio/MG, 2018.

RAMALHO, Liliane de Almeida Silva. ANÁLISE DO CONHECIMENTO DE SAÚDE AUDITIVA DE TRATORISTAS AGRÍCOLAS DE UMA PROPRIEDADE RURAL DE COROMANDEL MG. 2018. 45 f. TCC (Graduação) - Curso de Fonoaudiologia, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio-Unicerp, Patrocínio/MG, 2018.

ROLDI, Larissa Berti. A INCIDÊNCIA DOS HÁBITOS ORAIS DELETÉRIOS EM CRIANÇAS DE ZERO A QUATRO ANOS QUE FREQUENTAM O CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL SANTA TEREZINHA DO MUNICÍPIO DE PATROCÍNIO/MG 2018. 48 f. TCC (Graduação) - Curso de Fonoaudiologia, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio-Unicerp, Patrocínio/MG, 2018.

ROSA, Tainá Cristina dos Reis. ANÁLISE DE SINTOMAS VOCAIS E TENSÃO OROFACIAL E CERVICAL EM INDIVÍDUOS TÍMIDOS E NÃO-TÍMIDOS. 2018. 41 f. TCC (Graduação) - Curso de Fonoaudiologia, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio-Unicerp, Patrocínio/MG, 2018.

SANTOS, Franciele Arruda dos. ANÁLISE DO PERFIL FONOAUDIOLÓGICO DOS PACIENTES SUBMETIDOS À EQUOTERAPIA. 2018. 46 f. TCC (Graduação) - Curso de Fonoaudiologia, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio-Unicerp, Patrocínio/MG, 2018.

SILVA, Fabrine Rodrigues. CONHECIMENTO DOS PROFESSORES SOBRE A AQUISIÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM INFANTIL E AS DIFICULDADES ENCONTRADAS NESSE PERÍODO. 2018. 46 f.  TCC (Graduação) - Curso de Fonoaudiologia, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio-Unicerp, Patrocínio/MG, 2018.

SILVA, Isadora Cristina dos Reis. A OCORRÊNCIA DE SINTOMAS OTOLÓGICOS EM GESTANTES. 2018. 30 f. TCC (Graduação) - Curso de Fonoaudiologia, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio-Unicerp, Patrocínio/MG, 2018.

TEODORO, Matiza Sthefany Aparecida. ALEITAMENTO MATERNO: conhecimento de mães a respeito dos fatores que levam ao desmame precoce. 2018. 46 f. TCC (Graduação) - Curso de Fonoaudiologia, Centro Universitário do Cerrado Patrocínio-Unicerp, Patrocínio/MG, 2018.